Excertos de uma entrevista com Brian Weiss  

 

"Existem evidências acumuladas em que as pessoas ao fazerem regressão a vidas passadas melhoram os sintomas que tem na vida presente. Se não houvesse ligação os sintomas não iriam desaparecer porque a fantasia ou a imaginação não têm o poder da cura e muitas vezes de sintomas e doenças graves."

"Há um grande interesse por esta terapia em todos os países, as pessoas querem este tratamento não só para lidar com o luto, mas para se curarem, para se conhecerem e trabalhar o medo da morte. Nós não morremos quando o nosso corpo morre. A nossa alma, a nossa consciência permanece e é reconfortante para as pessoas saber isto. Não há magia nem mistério. É como a psicanálise só que muito mais rápido."

"Enquanto médico tradicional eu era muito cético, tinha a mente muito fechada e não acreditava em nada destas coisas, mas quando conheci a Catherine, uma paciente minha, tudo mudou.

Ela tinha sintomas graves, ataques de pânico, depressão, insónias, e a psicoterapia tradicional não estava a progredir muito. Ela também tinha medo de se engasgar e por isso não podia tomar medicamento nenhum. Por este motivo eu utilizei a hipnose para a fazer voltar á infância. A hipnose como é um estado de relaxamento profundo ajuda a focar a memória. Mesmo assim os sintomas continuavam muito graves. Na semana seguinte fizemos uma nova sessão e eu disse “volte á época em que os sintomas começaram”. Então ela recuou 4 mil anos porque foi lá que os sintomas começaram a aparecer. Naquela vida ela tinha-se afogado devido a uma cheia e depois de se lembrar disso o seu medo de se engasgar desapareceu. Eu sabia que a fantasia e a imaginação não podem eliminar sintomas de uma vida inteira. Semana após semana, enquanto se lembrava de vidas passadas ela foi-se livrando de todos os sintomas.

Uma coisa muito estranha também aconteceu comigo e para mim foi muito chocante. Na 4ª ou 5ª sessão ela morreu numa vida passada na Idade Média e ficou a pairar sobre o seu corpo e disse que estavam lá duas pessoas que queriam falar comigo, o meu pai e o meu filho. Ambos tinham morrido antes da Catherine começar a terapia. Então ela começou a dar-me detalhes sobres a morte e a vida deles. Por exemplo, o meu filho tinha uma insuficiência congénita no coração muito rara e ela descreveu tudo isso. Não era possível ela ter esta informação porque isto não estava escrito em lado nenhum. Perguntei-lhe onde conseguiu estas informações e respondeu-me: “dos espíritos á minha volta, dos mestres”."

"Eu não acreditava em nada disto, espíritos, vidas passadas, outras dimensões… e tudo estava ali a ser provado."

"Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade"